Salsicharia Werner agora tem Susaf

alex steffen
por alex steffen janeiro 8, 2019 15:28

Salsicharia Werner agora tem Susaf

Quando Aloísio Werner era funcionário do açougue dos Käfer, há mais de meio século, não sonhava que, algum dia, tivesse empresa própria, muito menos que esta empresa, junto com a esposa, filhos, noras e netos. Quando passou a empreender por conta própria, deixando de ser funcionário, o homem, hoje com mais de 70 anos, passou a ter novas horizontes. Ganhava mais clientes, afinal, ele sabia lidar com carnes.
Aloísio Werner, ou Bepe, como é mais conhecido, filho de descendentes alemães e italianos, fez família ao lado da esposa Loria. Ela não é apenas o braço direito dentro de casa, mas é os dois braços atuando na empresa familiar. Lá por volta de 1982, criado o açougue e a salsicharia Werner, os rumos foram mudando. Quando da emancipação de São Pedro da Serra, dez anos depois, a empresa ganhava ainda mais projeção, tendo também apoio da esfera local. Sabiam Bepe e Loria que teriam que investir em qualidade, tendo um grande asseio em tudo que viessem a fazer. Primavam por ter produtos de excelência, tendo claras as normas do Sispoa e do Sistema de Inspeção Municipal. Mas isso não era o bastante para ganhar outros mercados. Era preciso ter, como empresas de outros municípios, o selo do Susaf, que permitisse a comercialização dos produtos, também em outras cidades gaúchas.
Produzir uma linguiça de qualidade diferenciada pouco adiantava se era para vender apenas dentro de São Pedro da Serra. O mercado era muito limitado. Era preciso ir além e, claro, adaptar-se às novas realidades, buscando pelo Susaf. Quando o município de São Pedro da Serra teve aprovado o selo há algumas semanas era quase uma obviedade saber que a Salsicharia Werner já estava buscando pelo enquadramento às normas. Mudaram o que foi preciso dentro da empresa e, há alguns dias, bem no comecinho de 2019, veio a excelente notícia: a Salsicharia Werner recebeu o selo Susaf.
Isso quer dizer que os filhos Jandir, Elton e Sirlei, assim como as noras Graciele e Valtereza, juntamente com os demais integrantes da família e os funcionários vão ter trabalho extra a partir de agora. Bepe e Loria, não serão apenas supervisores, mas orgulhosos entusiastas de um negócio familiar que tende a crescer. Assim como os demais, os fundadores da empresa seguirão labutando e dando o melhor de si, para que o churrasco do final de semana, ou a tradicional linguiça, servida às mesas, continue honrando a cultura gaúcha e alemã, e claro, também a italiana, afinal, todos os sangues se misturam em meio ao corpanzil do patriarca dos Werner.
O selo do Susaf, para Bepe e os seus, é a confirmação de que o trabalho iniciado há tanto tempo está correto. Se sempre primaram pela qualidade superior, agora, o carimbo do Susaf-RS, deixa a sua marca sobre tudo o que eles fizerem.
A empresa que nasceu pequenina, no interior de São Pedro da Serra, hoje é referência de qualidade, da forma que falar na Salsicharia Werner (ou no Bepe) é fazer menção ao Campestre Alto, onde a salsicharia tem a sua sede.
Poderia ter São Pedro da Serra, com muito esforço da esfera pública e do empresariado conseguido o Susaf antes? Talvez sim, mas agora não é hora de remoer fatos, sim, é hora de processar a carne, moendo direitinho, com os temperos que só o Bepe e os Werner sabem fazer. Afinal, nesta história tudo acaba em Wurst (linguiça).

alex steffen
por alex steffen janeiro 8, 2019 15:28