Conecte-se conosco

Esportes

Pedro Lucas, decisivo, dá título ao Inter

Publicado

em

Para um centroavante fazer gols é fundamental. Para o camisa 9 do Inter fazer gol em GreNal é essencial. Agora, vestir a 9 colorada, em uma final nacional, frente ao Grêmio, transforma o gol em uma saborosa recompensa.
Pedro Lucas Schwaizer, o matador do time aspirante do Inter, entrou em campo com o compromisso de ajudar a equipe e sair com o título, mas, é claro, em seus melhores sonhos, queria balançar as redes. Já apontava o cronômetro 50min da primeira etapa e a bola foi alçada na área. Alta. Forte. E Pedro Lucas, alto e forte, saltou invertendo até as regras da física. Quase caindo, sem o enquadramento ideal para o cabeceio, testou e vez explodir o grito de gol.
Na arquibancada do Centenário, em Caxias, os colorados foram ao céu, assim como os pais do matador. De tantos gols marcados, inclusive pelo elenco profissional do Inter, esse, na final do Brasileiro de Aspirantes deve ter sido o mais importante.
Na segunda etapa o Inter manteve a pegada e a vantagem no placar. Ao final, festa vermelha frente ao rival histórico. Pela segunda vez o Inter era campeão dos aspirantes (com apenas três edições deste campeonato). Hegemonia do Clube do Povo.
E, Pedro Lucas, menino criado na base do Inter, saído dos gramados do Aliança do Vale Real, se credencia a subir degraus.
Em suas redes sociais milhares de felicitações, dentre as quais dos atletas do profissional como Patrick, Danilo Fernandes, Nonato, Trelles e do amigo “irmão” Roberto, que naquele domingo fora chamado ao elenco principal. Humilde, Pedro Lucas apenas agradeceu e dedicou o título a todos. Fizera o dever de um 9 matador. De um 9 colorado. De um 9, agora, campeão.

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + dezessete =

Bom Princípio

Divas conquistam Bom Princípio

Publicado

em

Fênix nos veteranos e Filtradores no força livre também são campeões de futsal

Um espetáculo da bola. Talvez seja a melhor maneira de resumir as partidas finais do futsal de Bom Princípio na última sexta, dia 16 de agosto.

Na primeira partida da noite, a equipe do Divas pisou em quadra com a vantagem do empate, afinal, vencido havia a primeira disputa na semana anterior. E a vantagem só fazia crescer, afinal, em quadra tinha um bom elenco, que iniciava com uma goleira muito eficaz e uma implacável goleadora. Quis o destino que as duas nascessem em uma mesma casa: Liciara e Liciane, como de hábito, se destacaram. Mas, Liciane, na finalíssima, não deixou a bola na rede. Não fez falta, todavia, pois com uma jogada belíssima, o Divas abriu o placar com Tatiana, na primeira etapa, e fechou, com Rosângela. O 2 a zero deu o título frente ao bom time do Ravena.

O Divas venceu com Liciara; Ana Caroline, Tatiana, Marciane e Cristine; Sandra, Rosângela e Liciane. E claro, além do troféu entregue pelo prefeito e vice, ainda levou, de lambuja, os troféus de goleadora e menos vazada. Festa completa, com rímel, blush e batom.

DEU FÊNIX

Festa pouca é bobagem, afinal, o Íbis, que tanta história fez em Bom Princípio, não foi capaz de derrubar a vantagem que o Fênix havia construído no primeiro jogo das finais. E a vitória por 3 a 2, na primeira partida deu um tanto de tranquilidade ao time de verde e preto.

E a situação ficou ainda mais confortável, quando Fábio Hastenteufel abriu o placar logo aos seis minutos. Mas, nada fácil estava o jogo, tanto que, o Íbis empatou, com Dilli, em cobrança de pênalti. Mas, logo depois, em erro na saída de bola, o Fênix voltou a abrir vantagem, terminando o primeiro tempo em 2 a 1.

Na segunda etapa, com uma pressão muito forte na marcação e na saída de jogo, o Íbis buscou o empate com Naldo. Mas o empate não bastava. A festa iniciava ao apito da arbitragem, depois de um jogo muito duro e tenso. Fênix colocava mais um troféu no armário, sendo condecorado pela corte da Festa do Moranguinho.

O Fênix venceu com: Valdomiro, Patrick, Fábio, Cláudio, Gustavo e Fábio Andriolli; João, Michael, Rogério, Lairson e Pedro; Márcio, Charles e Calisto. Sob a batuta de Leandro.

FILTRADORES – DE NOVO

Bem diferente do ano anterior, onde a vitória na final foi com largo placar, o Filtradores, em partida quase impecável, venceu ao Porto em um jogaço.

Na primeira etapa, depois de várias defesas de Bilica, foi o Filtradores que abriu o placar, com jogadaça de ataque, numa rápida tabela, tendo William Luft a incumbência de deixar a redonda, mansa, nas redes. E com o 1 a zero a seu favor, o Filtradores passou a ver a partida endurecer.

O Porto foi um adversário valente e poderia até ter marcado, mas era um dia “não” para o ataque dos azuis. Já o Filtradores, com xadrez tal a seleção croata, tocava de lá para cá, num tic-tac interessante. E o toca de lá, toca de cá, resultou no segundo gol, com o craque da companhia: Mathias Barth.

O placar estava encaminhado e o título também, mas o Porto precisava arriscar tudo. E o risco se tornou em gol, outro do Filtradores. O Porto avaliara ser, com goleiro linha, a sua chance de reverter o que estava desfavorável, mas, Bilica, goleiro e goleador pra lá de oportunista, defendeu e deu um chute, de sua goleira à outra, e partiu escorregando pela quadra para comemorar, frente ao seu filho, o gol que decretava o placar final: Filtradores campeão… 3 a zero e a festa começava.

O multicampeão Filtradores formou e recebeu o troféu do prefeito Fábio e do vice Joãozinho com: Bilica, Flach, Charles, William e Dodo; Vini, Knecht, Andrei e Diego; Henrique, Fabiano, Sérgio, Mathias e Heider.

Não bastasse o troféu, festa também com chopp da Herzpiller e com um fardamento novinho da Fuse Sports.

Na avaliação do diretor de esportes Dirceu “Pila” Fritzen, o campeonato de futsal é uma oportunidade para ver o desfile de craques, em especial locais, afinal, a ampla maioria é de Bom Princípio, o que deixa ainda mais aguçada a rivalidade entre as equipes que querem o título maior, sempre.

Fotos: Mathias Gabriel Schneider Steffen

Texto: Alex Steffen

Continuar Lendo

Bom Princípio

Filtradores vira sobre o Porto na primeira das finais

Publicado

em

Tudo levava a crer que o Porto faria frente ao Filtradores nas finais do futsal de Bom Princípio, ainda mais quando Jean Junges abriu o placar logo no comecinho do jogo. O Porto, na fase eliminatória, havia vencido ao multicampeão Filtradores e estava armado para vencer novamente. Mas, no futsal as hipóteses extracampo devem ser esquecidas quando a redonda der o primeiro giro.

Porto abriu os trabalhos ao balançar a rede no comecinho

O jogo ganhou ainda corpo depois do gol do Porto. A correria intensa e até algumas entradas mais viris chegavam a impressionar. Era questão de tempo para mais um gol. Ou melhor. Mais alguns, afinal, futsal que se preza, tem muitos gols.

Charles empatou para o Filtradores, em um tic-tac interessante, fazendo jus à quadriculada camisa que usavam. Assim como a Croácia, no futebol de campo, o Filtradores toca muito a bola, em progressão, e assim, foi envolvendo ao Porto. Nestor Arnhold, fazendo valer o seu apelido (Flecha), surgiu veloz em meio à jogada de ataque, e fez o segundo. E quase ao final do primeiro tempo, o goleiro Bilica fez mais um, em uma pancada desviada em frente ao arqueiro Alemão. Final do primeiro tempo e lá estava o placar, 3 a 1 para o Filtradores.

O Filtradores fez três na primeira etapa e no tempo complementar repetiu a dose

O Porto mudou de goleiro no começo da etapa derradeira, reestruturou o time em quadra e tentou. Mas ficou nas tentativas, afinal, a bola não mais balançou as redes do time xadrez. E o balde de água gelada veio logo, com Charles Guth, um cara “guth de bola” deixou mais um para o Filtradores.

Era a vez da estrela da companhia. Mathias Barth, sempre empenhado e com lampejos de genialidade, também fez o dele para o Filtradores depois de alguns minutos de jogo morno, afinal, a vitória estava encaminhada.

A torcida já gritava, esperando por um “baile”, mas o respeito foi mantido mesmo com o placar dilatado. O mesmo respeito que se tem por um pai. E por falar respeito pela figura paterna, Henrique Ledur, nas dependências do Ginásio José Bertoldo Ledur, fez o gol dele, olhando para o alto, onde consta o nome do seu finado pai, e foi para o abraço.

Era hora de reverenciar o Filtradores, que vencera com propriedade, e administrou o jogo considerando o adversário que estava do outro lado. O Porto, por sinal, precisa vencer a partida de volta para que chegue a uma prorrogação. Impossível? Não. Um time com craques como Junior, Tida, Dudu pode se impor, mas, o Filtradores não é páreo fácil. A próxima sexta, dia 16 de agosto, promete ser quente para saber o campeão municipal de 2019.

O desfile delas

As Divas desfilaram beleza e categoria

A primeira partida da noite trouxe a lembrança dos áureos tempos do futsal feminino de Bom Princípio. E a recordação foi justificada com a atuação das divas do Divas.

No comecinho da rodada de jogos das finais, Talita abriu o placar para o Divas, frente ao Ravena, vendo a vantagem aumentar com a sempre goleadora Liciane. Além de insistentemente balançar as redes, Liciane desfila em quadra a graça feminina quebrando os paradigmas, afinal, as belas também podem jogar. E jogar bem.

As belas do Ravena, até tentaram, mas a noite não era delas…

As gurias do Ravena foram à frente, com mais afinco, mas as mãos de Liciara pareciam ser do tamanho do arco, e a bola não pode transpor a linha. Liciara, assim como Liciane, brilhou. Enquanto uma garantia com a segurança de defesas, a outra, marcava gol. E foi Liciane que deixou mais um para o seu timaço. E no apagar das luzes da primeira etapa, Talita, fez o quarto. Depois disso, por 20 minutos, o jogo rolou, mais morno, mas a torcida podia ver em quadra charme e graciosidade, entrega e passionalidade pelo esporte. Enfim, a bola pesada pode ser tratada com carinho.

Fim de papo e 4 a zero para as Divas da quadra.

A experiência em quadra

Em busca do tetra – o Fênix venceu ao Ibis por 3 a 2

Aqueles que os jornalistas, no começo dos anos 2000 apontavam como promessas, hoje, pelos mesmos jornalistas são vistos como referências da evolução do esporte. Assim, quando Dilli, Vini, Fábio Andrioli e Patrick pisaram em quadra na noite de 9 de agosto de 2019, havia uma certeza: seria um jogão entre Fênix e Ibis.

A reedição das finais do ano passado. E parecia que a história se repetiria. O Fênix largou na frente, rapidinho, com Michael. E depois ampliou com Fábio Hastenteufel. E assim, com 2 a zero no placar, foi para o intervalo mais tranquilo.

O Ibis, que conta com o prefeito Fábio Persch no elenco, emparelhou o jogo no segundo tempo

Na segunda etapa o Ibis voltou mexido em sua estrutura em quadra. Usou da força de Vini Warken e Fábio Persch, o prefeito de Bom Princípio, para surpreender. E em jogada do prefeito pelo flanco direito, surgiu o primeiro gol, com Vini. Maninho deixou tudo igual no placar, dando sobrevida ao Ibis, que alimenta imortalidade de um time que muito venceu.

Na finaleira do jogo, porém, em erro na saída de jogo, a bola parou nos pés de Fábio Andriolli. Sempre matador. Sempre goleador. E Fábio Andriolli foi mais Fábio Andriolli do que nunca. Balançou as redes e deu números finais à partida.

Agora, o Ibis precisa vencer ao seu rival Fênix para levar o jogo à prorrogação. E para saber dessas histórias, bem, é preciso aguardar o dia 16 de agosto, onde o Campeonato Municipal de Futsal – Taça Herzpiller/Fuse, irá conhecer os seus campeões.

As medalhas já estão em Bom Princípio, e pelas mãos do diretor de esportes Dirceu “Pila” Fritzen serão destinadas aos craques da bola pesada. Na próxima semana saberemos a segunda parte desta história, por enquanto Filtradores, Divas e Fênix estão em vantagem.

Continuar Lendo

Bom Princípio

Adilson Warken anuncia aposentadoria aos 32 anos

Publicado

em

O atleta com origem em Bom Princípio virou manchete nacional por conta de diagnóstico de problemas cardíacos

Não era exatamente a notícia que se gostaria de ouvir, mas já no final da manhã desta sexta, dia 12 de julho, a mídia especulava o encerramento da carreira de Adilson Warken, aos 32 anos. E a informação foi confirmada por ele próprio, Adilson, na tarde de sexta, em coletiva de imprensa.

Emocionado, sim, mas consciente de que está em primeiro lugar a sua vida e a proximidade com os seus familiares, Adilson anunciou estar encerrando a sua trajetória nos gramados por conta de um diagnóstico médico que apresenta problemas ligados ao coração.

“Eu não preparei nada em especial, eu vim aqui só agradecer por todo o apoio, todo o suporte do departamento médico do Atlético, diretoria e presidente, que não estava no Brasil, mas fez questão de me ligar e me dar todo o apoio. Agradecer à rapaziada que está aqui (os jogadores acompanharam a coletiva de perto), todos que estão aqui. É isso que me fortalece. Já que estou nessa condição, é isso que eu gostaria de receber, então eu realmente agradeço a todos vocês por tudo que vocês têm feito, não só por esse momento, por tudo que passamos nos últimos anos. A relação comigo foi sempre de muito respeito e muito apoio, inclusive do clube, no momento da minha chegada, da minha renovação ano passado, quando escolhi permanecer no Atlético, de coração. Tenho recebido uma série de mensagens nas últimas horas. Não pude ainda responder ninguém, esperei o pronunciamento oficial. Eu queria dizer, antes de tudo, que estou bem. Queria tranquilizar a todos. Estou bem, não tive nenhuma reação física nesse processo todo. Sempre estive muito bem, vinha treinando, me preparando pro clássico. A vida vai seguir, eu vou seguir aqui no dia a dia do clube, o clube já tem manifestado o interesse que eu permaneça aqui no dia a dia, colaborando da melhor maneira possível. Só tenho a agradecer, até então aqui tem sido tudo maravilhoso na minha vida pessoal e esportiva. Minha filha vai nascer dia 22. Tenho muitos motivos pra seguir, pra ser feliz. Então eu queria só fazer um pedido a todos vocês, principalmente da imprensa, que respeitassem esse momento que eu estou vivendo e tivessem todo o cuidado no momento de tratar dessa situação. Eu achei que ia ser mais fácil, que eu ia chegar aqui e ia ser mais fácil falar alguma coisa. Sei que minha família está sofrendo, todos estão sofrendo. Realmente peço que respeitem todo esse processo, como têm me respeitado até então, agradeço todo esse respeito que tiveram por mim. A vida vai seguir, com minha filha chegando, vou estar aqui junto dessa rapaziada, que tenho como irmãos. Acredito muito neles, eles ainda são a última chance que eu tenho de ganhar um troféu grande. Ainda tenho essa chance, acredito muito neles. Vou estar aqui nesse processo, ganhando ou perdendo, vou estar junto deles. A todos vocês, muito obrigado por tudo”

A informação anteriormente trazida pelos médicos dava conta de que Adilson foi diagnosticado com uma cardiomiopatia hipertrófica, uma doença cardíaca identificada durante exame realizado na pausa para a Copa América.

De acordo com os médicos o diagnóstico é claro e recomenda a não prática esportiva em nível profissional, todavia, nada impede que Adilson siga sua vida como cidadão e, quem sabe, ligado ao mundo do futebol, cumprindo os compromissos que tem com o Atlético Mineiro, onde até esta sexta atuava como jogador profissional. O médico do Atlético e da Seleção, Rodrigo Lasmar, disse que todos no clube estavam emocionados por causa da aposentadoria precoce do volante, sendo a aposentadoria uma maneira de preservar a vida do ser humano, estando isso, acima de tudo.

Revelado profissionalmente pelo Grêmio, onde teve destacadas temporadas, Warken jogou no Terek Grozny, da Rússia. Ano de 2017 voltou ao Brasil, jogando pelo Galo Mineiro. Sua origem no futebol teve ligação com a base do Caxias, onde foi descoberto pelo tricolor, mas antes disso atuou nos gramados do vale do Caí, com destaque por times como o Juventus de Feliz e o São José, de Santa Teresinha, comunidade onde vivem os seus familiares.

Há alguns anos recebeu o título de Cidadão Bom-Principiense, sob proposição do então vereador André Kercher, e aprovado por todos os edis, afinal, como poucos conduziu a bandeira de Bom Princípio.

“Antes de mais nada temos que pensar na saúde do amigo e de sua vida futura. Sempre nos orgulharemos dele”, cita Kercher

Casado com Deisinara Baumgratz, Adilson (como ele mesmo noticiou) será pai ainda este mês. Em um período de fortes emoções, acima de tudo, está a dignidade do ser humano. Se não mais pode seguir como jogador, poderá caminhar adiante, como homem e pai de família, buscando uma maneira digna de levar a vida. Contará, certamente, com o carinho de seus muitos amigos, sejam do mundo da bola e daqueles que o viram crescer, em Bom Princípio, com excelentes ideais.

Continuar Lendo

Trending