Conecte-se conosco

Bom Princípio

João Rodrigues é prefeito em “terra de alemão”

Publicado

em

João Augusto Rodrigues da Silva. Um nome de origem lusa, mas isso não o impede de ser prefeito em Bom Princípio, uma terra marcada pelos sobrenomes alemães.

Ainda que a viagem de Fábio Persch e João Guilherme Weschenfelder, prefeito e vice de Bom Princípio, dure apenas três dias, não quiseram eles deixar o gabinete municipal desguarnecido. Assim, passaram o cargo de Prefeito Municipal de Bom Princípio ao presidente da Câmara de Vereadores, João Augusto Rodrigues da Silva.

O segundo na linha de sucessão do executivo, João assumiu o posto na manhã desta terça, representando assim o executivo em suas tomadas de decisão. Evidente que o novo prefeito a linha de conduta de Fábio e Joãozinho, afinal, ele, Rodrigues, é parte do governo local. “Vamos acompanhar de perto o andamento das obras e realizar demais ações em favor do município”, destacou João Rodrigues, feliz com a oportunidade de assumir o executivo local.

Na viagem a Brasília, Persch e Weschenfelder têm várias agendas marcadas buscando recursos federais. “Sabemos da responsabilidade que tem o cargo de prefeito e assim chamamos o João Rodrigues para exercer a função enquanto estamos fora”, cita Fábio Persch.

Dentre as muitas demandas programadas para os três dias em que estarão em Brasília, o prefeito Fábio Persch destaca a busca de recursos para pavimentações, aquisição de equipamentos para a agricultura. Além das emendas já apresentadas aos ministérios, foram levados a Brasília também outros projetos com aquisição de maquinários, novas pavimentações e, também, ampliação da estrutura do hospital. “Estamos buscando recursos nas mais diferentes áreas, tentando atender à comunidade em vários setores, quem sabe trazendo alguns milhões de reais em recursos para Bom Princípio. Ir a Brasília é, ainda, o caminho mais viável para alcançar recursos para o município”, pontuou Joãozinho.

Rodrigues está em seu primeiro mandato como vereador, militando no PTB, mesmo partido de Joãozinho e comemora a oportunidade de estar como prefeito de Bom Princípio. “Jamais sonhei com isso, mas se é o que a vida nos apresenta, agradeço e cumprirei com o dever que me é oferecido”, finalizou desejando sorte aos que estão em Brasília nesta terça, quarta e quinta-feira.

Mas, há detalhe que poucos sabem: esse descendente de lusos também tem veia germânica, provinda da família materna, de tal forma que fale, com propriedade, o dialeto hunsrück.

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 1 =

Bom Princípio

Tradicionalismo fala até alemão

Publicado

em

Empompada e soberba poderia ser

Mas ainda guria, humilde aprendeu viver

Em pequena embalagem, com grande prazer

Linda, grande e doce voz às almas faz estremecer…


Não há criatividade ou verso que posso expressar tudo o que fez a prenda, pequenina, de 13 anos apenas. Trajada com o vermelho dos moranguinhos, subiu ao palco com a segurança de uma adulta. E surpreendeu a quem ainda não a tinha visto ao vivo. Vice-campeã do The Voice Kids, em 2019, Luiza Barbosa teve apresentação ímpar na Festa Nacional do Moranguinho, fazendo a todos cantar com a sua banda.

Excepcional. Irretocável. Formidável. Impressionante… faltam adjetivos para colocar junto ao nome da menina, que quando entre outras é bem guria, mas no palco se revela mulher, por vezes com trejeitos de Elis, outras, de Mercedes Sosa. 

E foi assim, com um espetáculo de pleno sentimento, que Luiza se apresentou por mais de uma hora, frente a um bom público, na arena de shows da festa mais gostosa do Brasil.

Feito galpão crioulo
O vínculo dos Fagundes com o programa Galpão Crioulo é tamanho que não houve como esconder a lembrança de Nico, o apresentador eternizado na tevê. E foram os seus sobrinhos Neto – hoje a frente do programa – e seu irmão Ernesto, que se apresentaram em Bom Princípio, trazendo à memória muito da cultura gaúcha e, também, fazendo saudação ao octagenário Bagre Fagundes, que até hoje nos faz perguntar “onde fica o Alegrete”.

E foi seguindo o rumo de todos os corações que ali estavam que a gauderiada cantou com Neto, tendo o ápice da emoção surgido no hino do Rio Grande do Sul. Este, a capela, foi cantado, em altos brados, pelo povo ao final do show, afinal, era 20 de setembro.

Querência em alemão

“A boa música é idioma universal”, destacou Mathis Petermann, que integra a banda Die Original Kölner Musikanten, ao assistir as apresentações dos nativistas. E, assim como fizeram à tarde, antecipando os shows, os alemães voltaram ao palco, desta vez, no CTG Porteira Aberta. 

Em uma noite teuto-gaudéria, com apresentações novamente de Luiza, das invernadas do Porteira, discursos e lembranças do intercâmbio de Bom Princípio com a Alemanha, o momento mais emocionante veio ao final. Tendo amigos consigo no palco, os alemães entoaram Querência Amada, em português e alemão, fazendo com que tudo virasse tradicionalismo. 

Secretário de Turismo participa da festa

Ruy Irigaray, secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Rio Grande do Sul, também acompanhou as atividades do feriado Farroupilha na Terra do Moranguinho. 

Impressionado com a grandiosidade da festa do Moranguinho, veio com a família, e falou com o espírito fraternal. Lembrou da importância da festa feita pela comunidade e que, até a noite de sexta, tinha atraído 95 mil pessoas. Foi enfático ao parabenizar ao prefeito Fábio, ao vice Joãozinho e ao presidente da Festa, Leandro Dewes, afinal, representam eles a comunidade que, como um todo, trabalho pelo bem-sucedido evento.

Empresários que apoiaram a Festa do Moranguinho foram homenageados assim como os artistas alemães, cada qual recebendo uma cuia personalizada. 

E ao final um baita desafio ao CTG Porteira Aberta, afinal, receberam da Alemanha um convite para lá estar em maio de 2020. E, com o apoio de entusiastas culturais, deverão lá estar, levando a bandeira de Bom Princípio e as tradições do Rio Grande do Sul, por lá fazendo um grande 20 de setembro. 

É assim que se faz um intercâmbio. É assim que se trata a cultura. Isso tudo nos faz Rio Grande.

Continuar Lendo

Bom Princípio

100 mil é a meta a ser batida

Publicado

em

Se em 12 dias de festa, em 2017, o público da Festa do Moranguinho foi de 123 mil pessoas, portanto, pouco mais de 10 mil pessoas por dia, neste ano, com 10 dias de festa, o público estimado é de 100 mil pessoas. Depois de dois finais de semanas o resultado que se tem, até o momento, é de 76 mil pessoas.

40 mil participaram da festa no primeiro final de semana e 36 mil no segundo.

Isso mesmo, no segundo final de semana, um público duas vezes e meia maior que a população de Bom Princípio foi ao parque municipal no segundo final de semana da Festa Nacional do Moranguinho. E não foi apenas pelos shows de domingo – que por sinal tiveram excelente público – mas pela festa em si. 


Em um final de semana que teve encontro de orquestras, show internacional, teatro de bonecos, show para as crianças, desfile com a presença da comunidade, e claro, uma enormidade de pessoas buscando pelas delícias do morango, só poderia haver grande público. Ah! Claro, não esquecendo, São Pedro deu uma forcinha no domingo, pois o clima era pra lá de convidativo. Setembro, que ainda faz parte do inverno, teve temperatura de verão, fazendo com que todos se sentissem muito a vontade em participar da Festa Nacional do Moranguinho.


E para aqueles que buscavam por mais informações referente ao fruto, o morango estrelou também um grande seminário, onde duas centenas de pessoas discutiram o futuro do Moranguinho, tratando, inclusive, de novas tecnologias.


A festa segue nesta quinta, dia 19, véspera de feriado, com uma noite voltada para o pop/rock, com direito até ao show de Coldplay Cover. Dia 20, no feriado tradicionalista, terá Neto Fagundes e Luiza Barbosa. E por aí segue a festa, com o grande show de Marília Mendonça no domingo, dia 22, quando ocorre o encerramento das atividades em 2019.


De acordo com o presidente da festa, Leandro Dewes, milhares de pessoas já adquiriram os seus ingressos antecipados para o último final de semana, não sendo de duvidar que o público dos últimos quatro dias seja superior ao que se teve neste final de semana.

FESTA INTERNACIONAL

Mathis, Brendan, Simon e David. Quatro rapazes alemães vieram de Colônia para fazer os brasileiros se divertirem e dançar com os hits tradicionais e também atuais da Alemanha. 

Die Original Kölner Musikanten tiveram alguns percalços no Brasil, afinal, tocaram com instrumentos emprestados pela WBK e sem o seus trajes típicos (que ficaram estraviados em algum aeroporto do mundo e devem chegar em breve). Mas, isso não foi problema. Se nas primeiras apresentações no sábado tiveram pouca interação do público, no domingo, soberanas, e comunidade foram para a frente do palco dançando e se divertindo com os músicos que até já arriscaram palavras em português.

Sob a apresentação da Secretaria de Estado da Cultura, o Palco Cultural na Festa do Moranguinho é uma realização da Associação Comunitária Bom Princípio com apoio do Município de Bom Princípio, patrocínio: Madesa Móveis, Bom Princípio Alimentos, Bartzen Ambientes Planejados e Water Química, e o financiamento: Pró-Cultura RS LIC, Secretaria da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Fato que muito chamou a atenção dos alemães, além dos 30 graus de temperatura em pleno inverno, foi o número de pessoas falando em alemão. Além de encontrarem currywurst (linguiça muito consumida na Alemanha) e cervejas dos mais variados tipos. Claro, encantaram-se com a Caipirinha que, para eles é algo raro e muito caro. “Não dá pra acreditar, viajamos 10 mil quilômetros, atravessamos meio mundo, e estamos em casa”, disse o baterista Brendan, que é o mais jovem dos músicos. “Se fosse sempre assim daria vontade de ficar aqui”, brincou Simon, feliz com a festa e a oportunidade de tocar no Brasil.

Brincalhão, Mathis, estava de olhos arregalados surpreso com tudo o que via e agradeceu o apoio da orquestra. “Não fosse pela orquestra não teríamos instrumentos pra tocar. Muito obrigado pela ajuda”, disse ele ao regente Davi Dessotti.

David Brück, tecladista e também cantor da banda, havia estado no Brasil em dezembro passado e ainda se surpreende com o que vê no Rio Grande do Sul. “Estou no Brasil e em menos de duas semanas conheço muita gente. Todos conversam conosco como se fôssemos amigos há muitos anos. O Brasil é muito hospitaleiro, só temos que agradecer”, destacou David.

No domingo ainda tiveram a honra de tocar com as soberanas no palco, chamando a ele Davi Dessotti, regente da WBK, para junto saudar a rainha Caroline que estava completando mais um ano de vida.

Os músicos voltam a se apresentar na Festa do Moranguinho nesta sexta e no sábado, devendo participar dos outros dias de festa e assistindo os shows que são gigantescos em organização. A volta para a Alemanha está programada para o dia 24, e até lá, muitas visitas terão que cumprir, afinal, estão com muitos e muitos amigos para visitar.

SHOW DE ORQUESTRAS

Irretocável modo de preservar música e cultura, o Encontro de Orquestras da Festa Nacional do Moranguinho fez o evento ganhar contornos de magnitude musical em uma viagem no tempo.

Sob a apresentação da Secretaria de Estado da Cultura, o Palco Cultural na Festa do Moranguinho é uma realização da Associação Comunitária Bom Princípio com apoio do Município de Bom Princípio, patrocínio: Madesa Móveis, Bom Princípio Alimentos, Bartzen Ambientes Planejados e Water Química, e o financiamento: Pró-Cultura RS LIC, Secretaria da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

E do alto do Palco Cultural apresentaram-se as orquestras WBK (de Bom Princípio), de São Sebastião do Caí, de Feliz, de Veranópolis e de Harmonia, mostrando que diferentes gerações de regentes podem promover uma viagem no tempo. Davi Dessotti, a frente das orquestras WBK e do Caí, Dirceu Andrioli, com a Orquestra de Veranópolis, Joãozinho Schmidt com os seus comandados de Harmonia, e Rodrigo Hillebrand de Feliz mostraram uma grande diversificação nos repertórios, contudo, com a qualidade em primeiro lugar. 

O departamento cultural e a secretaria de educação de Bom Princípio deram o seu melhor para que a todas as orquestras se sentissem em casa, partilhando de momentos inigualáveis, estando cada acorde em seu devido lugar.

Com direito a mesas, em frente ao palco, dando ares de Alemanha, e muita participação do público, a Festa Nacional do Moranguinho e o Encontro de Orquestras se fez um casamento perfeito. 

Continuar Lendo

Bom Princípio

Emoção marca 10 anos de geminação com Klüsserath

Publicado

em

Quando chamados ao palco os alemães de Klüsserath se mostravam confortáveis, bastante serenos até, mas quando tomaram o microfone, a emoção aflorou, mostrando que a visita a Bom Princípio não era mero ato formal entre cidades, mas uma estreita relação de amizade.

Eram 13 pessoas vindas de Klüsserath em meio ao público da festa do Moranguinho, mas a sua representatividade ia muito além, afinal, estavam ali em nome dos mais de mil habitantes da comunidade e, também, dos antepassados que, com Guilherme Winter, colonizaram Bom Princípio no século XIX.

Eram pouco mais de 100 bom-principienses participando do ato que celebrava 10 anos de intercâmbio cultural, mas, assim como os alemães, a sua representatividade não poderia ser, em momento algum, contabilizada. Afinal, ali, no ato de celebração dos 10 anos de Intercâmbio Cultural entre Bom Princípio e Klüsserath, eram contadas histórias que trancendem ao tempo e ao espaço.

Os alemães, no palco do evento que celebrava a geminação de cidades, foram representados pelas falas do parlamentar regional, Helmut Reis, e pelo ex-prefeito Günter Herres. Enfatizaram, à sobremaneira, a importância do intercâmbio e da manutenção dele através do idioma. Estavam, por completo, realizados e felizes.

Marie-Sophie I. Schwarz, a rainha do vinho de Klüsserath, ladeada por suas princesas Lea Pfeiffer e Maike Briesch, fez uso da palavra e falou com sensibilidade digna de quem domina qualquer oratória. Foi precisa em dizer que viajara por milhares de quilômetros e mesmo assim se sentira em casa. Curvou-se para o público e rendeu agradecimentos pelo carinho e fraternidade existentes. Eleita duas semanas antes de vir ao Brasil, na nova corte do vinho estava radiante, pois pode apresentar os seus trajes oficiais e, mais, conhecer uma nova terra que, muito diferente do que imaginavam, é formada por pessoas que também falam em alemão.

Coube ao jornalista Alex Steffen fazer as traduções das falas dos alemães e também relatar em breve histórico o que foi realizado neste intercâmbio. O fez em dois idiomas, buscando traduzir as palavras de maneira não literal, mas tomadas de um realismo que fosse compreensível em português ou em alemão.

Foram lembrados todos aqueles que trabalharam pelo intercâmbio e, igualmente, enaltecido o esforço pioneiro do ex-prefeito Nestor Seibel, do professor Jacinto Klein e da pesquisadora Hedy Gattermann.

O vice-prefeito Joãozinho Weschenfelder, que era vereador e que assinou o primeiro decreto de intercâmbio – e que foi confirmado em lei pela atual Câmara de Vereadores, em 2019 – também fez uso da palavra. Lembrando de momentos deste intercâmbio e da ida a Klüsserath, em 2010. 

Já o prefeito Fábio Persch, que fala o alemão com um dialeto tipicamente regional do vale do Caí, não se fez de rogado, e usou do microfone também no idioma que aprendera com a sua avó. Finalizou dizendo que Bom Princípio e Klüsserath hoje não são mais duas cidades, mas sim uma só comunidade, unida por um sentimento maior de fraternidade.

Trocas de presentes foram feitas sendo os alemães e as autoridades, igualmente, agraciadas com uma revista de cunho histórico que aproxima ainda mais os dois municípios, afinal, a cultura se imortaliza através da escrita e da fala.

O ato como um todo deixou de ser simbólico quando do seu encerramento, pois permaneceram ali, junto ao palco, unidos, comemorando, alemães e brasileiros. Brindes não faltaram, assim como danças, afinal, uma boa bandinha não faz mal para ninguém.

Continuar Lendo

Trending