Conecte-se conosco

Saúde

Novo produto Tramontina é doado para salvar vidas

Publicado

em

Seguindo a máxima de fazer o bem, sem olhar a quem, é que a Tramontina surge no mercado com um novo produto com clara finalidade social.

Nos últimos meses, um novo produto foi desenvolvido na fábrica da Tramontina em Carlos Barbosa. Dessa vez, destinado ao segmento de saúde para auxiliar em situações de emergência e deixar um legado pós-pandemia. A empresa centenária e genuinamente brasileira reuniu suas equipes técnicas, principalmente de eletrônica e construção de máquinas, para a criação do Ventra – o equipamento de suporte respiratório transitório que sai da unidade pronto para uso emergencial em hospitais. O primeiro lote contará com 40 equipamentos que serão doados em dezembro para hospitais de mais de 20 municípios do Rio Grande do Sul. 

 

O projeto nasceu em março, em meio a crise no norte da Itália, onde o sistema de saúde entrou em colapso. No Brasil, havia grande preocupação em relação a possível escassez de equipamentos para suporte respiratório. “O cenário era de limitação na capacidade de produção nacional e muita concorrência, alto custo e longos prazos para importação. Reunimos um grupo multidisciplinar que estudou em detalhes os diversos esforços em andamento, incorporamos novas ideias e, por fim, chegamos a proposta do Ventra”, afirma Osvaldo Steffani, Diretor da Tramontina à frente do trabalho.

 

A equipe de engenheiros e técnicos opera em espaço exclusivo de 360 m² criado no prédio técnico-administrativo da Tramontina S.A. Cutelaria. Conta com layout específico e áreas separadas para higienização, estoque, identificação e classificação de componentes, montagem, embalagem e assistência técnica. Com exceção dos componentes da área médica disponíveis no mercado, o Ventra foi desenvolvido dentro da empresa. 

 

O conceito é baseado em estudo do MIT – Massachusetts Institute of Technology – que envolve um sistema mecânico automatizado relativamente simples e barato, utilizado para ventilar pacientes em situações de emergência. Esse sistema substitui o reanimador manual chamado de Ambu, atualmente utilizado nas emergências dos hospitais, com vantagens ligadas à simplicidade, baixo custo, fácil assepsia e disponibilidade no mercado. 

 

A iniciativa também contou com o apoio de profissionais e estrutura do Hospital Tacchini, de Bento Gonçalves/RS, onde aconteceram os primeiros testes do protótipo. Dentro deste contexto, o Dr. Felipe Rech Borges, anestesista, e o Engenheiro Clínico Carlos Mattoso, contribuíram de forma notável durante todas as fases do desenvolvimento. “Nossa intenção foi desenvolver um produto robusto e com tecnologia avançada, fazendo uso de eletrônica e mecânica de alta confiabilidade e precisão, não apenas algo improvisado para o momento de dificuldade, mas que apresentasse diferenciais importantes para sua categoria e finalidade”, complementa Osvaldo Steffani. 

 

Testes técnicos de bancada também aconteceram no Laboratório de Eletromédicos do Labelo – PUC, que funciona junto ao Hospital São Lucas, em Porto Alegre. O equipamento também foi submetido a rigoroso ensaio de compatibilidade eletromagnética, em laboratório especializado (SP). Laudos médicos atestando a eficiência do equipamento, dentro do escopo de uso foram possíveis por meio de testes clínicos no Hospital Tacchini e junto a um grupo multifuncional de Porto Alegre – que conta com profissionais dos Hospital São Lucas, Hospital de Clínicas e HMV. 

 

Equipamentos como o Ventra foram regulamentados através de uma resolução específica da Anvisa, em maio, para serem utilizados em situações de emergência. O sistema mecânico e eletrônico foi projetado para ser muito robusto, preciso e confiável, a partir de tecnologia avançada e componentes de alto padrão de qualidade e confiabilidade. A movimentação do sistema é feita através de um servo motor, que permite que a alteração dos parâmetros de utilização sejam feitos de forma rápida, amigável e precisa.

 

A solução não é destinada para casos de doenças respiratórias graves que demandam ventiladores microprocessados e de alto custo. “O objetivo do Ventra é ser realmente um equipamento de suporte respiratório emergencial e transitório, podendo ser útil nas situações em que não há disponibilidade imediata de ventiladores de cuidados críticos, até que a situação seja solucionada”, finaliza Steffani.

Créditos de Imagem: Débora Zandonai

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + 5 =

Bom Princípio

Morango é estrela de livro

Publicado

em

Você já imaginou misturar carne suína com morangos? Pois bem. Essa é apenas uma das mais muitas pedidas inusitadas do livro Morango Chef – das irmãs Paula Teresinha e Carla Maria Specht – que vai ser lançado na Festa do Moranguinho na noite de 6 de setembro.
A apresentação do livro está programada para as 19h, dentro da programação da festa, em meio às atividades de celebração do intercâmbio de culturas. E isso se explica, afinal, o livro traz muitas receitas inspiradas na cultura alemã, de forma que possibilite, aos amantes da cozinha, fazer uma viagem culinária sem tirar os pés do Brasil.

Continuar Lendo

São Vendelino

Atuação dos bombeiros segue eficaz em São Vendelino

Publicado

em

Depois da intervenção na Corporação do Corpo de Bombeiros de São Vendelino, feita na última quinta-feira, dia 15 de agosto, pelo prefeito municipal Evandro Luis Schneider, os atendimentos passaram a ser realizados por voluntários.
Na quarta-feira, dia 14, pouco antes do meio dia, o comando da corporação procurou a municipalidade informando que não mais atenderia ocorrências com quadro efetivo, a partir da manhã seguinte, indo, também, à mídia escrita e falada regional fazendo o mesmo comunicado, não aguardando, sequer, um parecer do órgão executivo municipal.
Na manhã de quinta, pouco antes da intervenção, a então vice-presidente da corporação, Morgana Colassiol, foi à mídia local e anunciou que não haveria mais atendimento de urgências e emergências pelos bombeiros, por conta do não convênio com a EGR, e o consequente atraso no pagamento do salário dos bombeiros em questão. 
A municipalidade, através de decreto do prefeito, às 8h da manhã do dia 15, passou a ter a gestão da corporação, mas antes mesmo, estava a postos, para atender alguma emergência que houvesse, não havendo um minuto sequer sem plantão.
Desta maneira, os bombeiros, passaram a ser responsabilidade do município, sendo nomeado como interventor Paulo José Schaefer. Este, que foi presidente da corporação em outros momentos da história, com o apoio da municipalidade, tratou de chamar os voluntários, das antigas, e também os servidores municipais que tenham habilitação para dirigir ambulância e outros veículos. E tudo continuou dentro da normalidade, inclusive com disponibilidade de atendimentos nas ERS 122 e 446. 
“Temos, em São Vendelino, pessoas comprometidas com a comunidade e assim, somos muito gratos a elas, afinal é possível partilhar dos conhecimentos, de maneira voluntária, para atuar em favor da saúde e segurança local”, citou Evandro Schneider. Lembrou ele, também, que foram realizados repasses por parte da prefeitura para associação de Bombeiros, totalizando R$ 90 mil, para investimentos em equipamentos, como na reforma do caminhão, mas os mesmos deixaram de ser realizados em sua integralidade.
Além dos bombeiros voluntários de São Vendelino, que foram treinados no decorrer dos anos, alguns dos que atuavam na corporação optaram por continuar, ainda que voluntariamente. Fica evidente que o sentido do voluntariado toma conta daqueles que atuam nessa causa, assim como ocorre na cidade irmã, de Sankt Wendel. E inspirados na Alemanha, que tem como orgulho de cada cidade o seu corpo de bombeiros, é que os são-vendelinenses atuam focados no município e suas necessidades.
No decorrer desta semana, foram realizados oito atendimentos, inclusive nas rodovias, ficando comprovada a eficácia e o comprometimento dos voluntários que abraçaram a causa. “Tudo, na medida do possível, segue a sua normalidade. Estamos atendendo as ocorrências, mas lamentamos que há trotes, à noite, pelo telefone. O trabalho é sério e voluntário”, pontuou Paulo José Schaefer. Dos atendimentos realizados, ainda que não haja o convênio com a EGR, os bombeiros fizeram quatro ações nas rodovias, mostrando o seu compromisso social como corporação.
O prefeito Evandro Schneider, no começo da semana, foi à Câmara de Vereadores, dialogando também com os edis a respeito da situação ocorrida nos bombeiros, e estes, de pronto, atenderam ao clamor. A Câmara recebeu também, do executivo, um comunicado oficial da situação.

DESFIBRILADOR DO MUNICÍPIO É RECUPERADO DEPOIS DE ANOS
Eis que a história comprova o caráter das pessoas. No começo do mês de agosto, mesmo estando longe do Brasil, em férias, o prefeito de São Vendelino, Evandro Schneider foi notificado pelo diretor da empresa Bravos Treinamentos (Fabrício Facchini) de que um homem estava em sua empresa para vender um desfibrilador. E o tal equipamento usado para casos emergenciais ligados a pacientes cardíacos se assemelhava ao que havia desaparecido e que pertencia ao município de São Vendelino. O setor jurídico da prefeitura, juntamente com o secretário de saúde, Inácio Lírio de Souza, foram verificar o caso de perto. E por precaução foi acionada a polícia, através da Brigada Militar, que reteve o equipamento para averiguação. 
Não foi surpresa perceber que o equipamento era o mesmo que foi deixado pela prefeitura de São Vendelino, para conserto, em uma empresa de Caxias do Sul. A falta do equipamento virou denúncia ao Ministério Público no começo de 2017 e o secretário Lírio condenado a fazer o pagamento do mesmo. Agora, com a restituição do mesmo equipamento, fica contraposta a denúncia de que o equipamento havia desaparecido em São Vendelino, e, sob responsabilidade de Souza.
O desfibrilador, em posse da polícia, foi restituído ao município nesta segunda feira. Fato que também cabe ressaltar é que o caso está sob avaliação judicial, devendo ser ouvidos todos os envolvidos, afinal, o equipamento estaria sendo vendido e a sua origem era incerta.

Continuar Lendo

Bom Princípio

Atenção Bom Princípio: Lixo é coisa séria

Publicado

em

A Prefeitura de Bom Princípio, por meio da Secretaria do Desenvolvimento e Meio Ambiente está reforçando o calendário de rotas de recolhimento de lixo e Bota Fora no Município. Conforme o secretário Mathias Seibel, algumas alterações foram feitas no calendário. Segundo ele, o trajeto do bairro Bela Vista, saindo pela Vigia passou a ter recolhimento semanal. Ele reforça que o Bota Fora será realizado somente nas segundas terças-feiras de cada mês. A cada 14 dias, independente da semana, haverá coleta em Caí Velho, todo Vale das Flores, Arroio das Pedras, Passo Salseiro, Morro São Pedro e Canto do Rio. “Reiteramos sobre a importância de seguir o recolhimento conforme a tabela, seja para o recolhimento de lixo, seja para o recolhimento do Bota Fora, e além disso, também a separação do lixo, que é um procedimento que, além de reduzir a quantidade de rejeito, ainda aumenta a quantidade de material reciclado, o que diminui o custo mensal da coleta”, disse o secretário.

Coleta de embalagens de agrotóxicos será dia 20

A Secretaria Municipal da Agricultura, Emater e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais estão apoiando a iniciativa da Agropecuária Agrosul, Inovar Agropecuária e Cooperativa Piá no recolhimento das embalagens vazias de agrotóxicos. A ação atende à legislação federal, que determina o recolhimento das embalagens vazias dos defensivos agrícolas. Conforme o calendário de recolhimento na região, a coleta em Bom Princípio será na terça-feira, 20 de maio, das 13h às 16h, no Parque Municipal. As empresas lembram aos produtores que para a embalagem ser recolhida ela deve sofrer a tríplice lavagem, que não haverá recolhimento de embalagem contaminada, e que somente serão aceitas as embalagens com rótulo e mediante nota fiscal ou receituário.

anúncio novo lixo

Continuar Lendo

Trending