Conecte-se conosco

Geral

Comitê Gaúcho da ONU Mulheres lança Campanha Máscara Roxa no Vale do Caí

Publicado

em

As 27 cidades de abrangência das associações dos municípios das regiões Carbonífera (Asmurc) e do Vale do Caí (Amvarc), no Rio Grande do Sul, recebem nesta terça-feira (28), às 10h30, o lançamento da Campanha Máscara Roxa, que permite às mulheres vítimas de violência doméstica denunciarem seus agressores em farmácias. A agenda é promovida pelo Comitê Gaúcho ElesPorElas, da ONU Mulheres

O lançamento será virtual, em uma plataforma de videochamada para reuniões. Participam representantes de órgãos de segurança, governo do Estado, Poder Judiciário, Legislativo e movimentos de mulheres que ajudaram a construir a campanha. Ainda foram convidados proprietários de farmácias, lideranças locais e representações de instituições e da sociedade. A imprensa também poderá participar e terá espaço para perguntas ao final. 

 

Como funciona a campanha

Lançada no dia 10 de junho no RS, a Campanha Máscara Roxa permite que mulheres vítimas de violência doméstica façam denúncias em farmácias. Ela começou com 600 farmácias, e já são mais de 1.300 unidades de cinco redes envolvidas. No Vale do Caí, 14 dos 20 municípios possuem estabelecimentos participantes. Já na região Carbonífera, cinco dos sete.

Até o momento, por meio da Campanha, 14 denúncias foram recebidas em farmácias de 12 municípios gaúchos: Porto Alegre, Canoas, Venâncio Aires, Capão da Canoa, Casca, Bento Gonçalves, Pinhal, Rio Grande, Taquari, Carazinho, Santo Antônio da Patrulha e Capão do Leão.

Todas as farmácias com adesão estão com o selo “Farmácia Amiga das Mulheres”, que serve para que as vítimas as identifiquem. Os atendentes receberam capacitação online para o procedimento e para garantir a segurança da vítima. Ao chegar na farmácia a mulher deve pedir a máscara roxa, que é a senha para que o atendente saiba que se trata de um pedido de ajuda. O profissional dirá que o produto está em falta e pegará alguns dados para avisá-la quando chegar. Após, o atendente da farmácia passará à Polícia Civil as informações coletadas, via WhatsApp, para que o órgão tome as medidas necessárias. 

Edegar Pretto, coordenador do Comitê Gaúcho e da campanha, lembra que qualquer farmácia pode aderir. Segundo ele, o objetivo é envolver também aquelas que não fazem parte de grandes redes, mas que estão em cidades menores. Interessados devem entrar em contato com o Comitê: 51 991993641 | comite.gaucho.elesporelas@gmail.com

A campanha foi motivada pelo aumento de casos de feminicídios no estado durante o período de isolamento, decorrente da pandemia do coronavírus. Nos meses de março, abril e maio 28 mulheres foram assassinadas por questões de gênero, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Somente em abril, o aumento foi de 66,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Ao todo, de janeiro a junho deste ano, 51 mulheres morreram vítimas de feminicídio no estado.

Dos 20 municípios do Vale do Caí, 14 possuem Farmácias Amigas das Mulheres

– Alto Feliz: Vida Farmácias

– Barão: Tchê Farmácias

– Bom Princípio: Farmácias Associadas / Vida Farmácias / Agafarma / Tchê Farmácias

– Feliz: Associadas / Vida Farmácias / Agafarma

– Harmonia: Farmácias Associadas / Vida Farmácias / Tchê Farmácias

– Montenegro: Farmácias Associadas / Vida Farmácias / Preço Mais Popular

– Pareci Novo: Vida Farmácias

– Portão: Farmácias Associadas / Vida Farmácias / Preço Mais Popular

– Salvador do Sul: Agafarma / Preço Mais Popular

– São José do Sul: Agafarma

– São Sebastião do Caí: Farmácias Associadas / Vida Farmácias

– São Vendelino: Vida Farmácias

– Tupandi: Vida Farmácias

– Vale Real: Farmácias Associadas

Continuar Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 5 =

Geral

Uvas reinam na montanha

Publicado

em

À sombra do Morro Canastra, nas proximidades da divisa com São Vendelino, não há grande romantismo no nome da localidade, mas, Canto Canela é um dos paraísos do vale do Caí quando o assunto é produção rural.

Iniciou na última semana a fase de colheita de uvas exuberantes, não apenas em sua beleza como no sabor. Sejam brancas, rosadas ou até com formatos inusitados (inclusive lembrando bananas), as uvas da propriedade da família Freiberger Andrioli são soberanas. Cachos com cerca de um quilo pendem do parreiral coberto e com tecnologia que conta com o aval da Embrapa.

Os irmãos Jair Fernando e Henrique Freiberger mostram muito conhecimento de causa quando falam das uvas que colhem ao lado dos visitantes. E são muitos os que vão até a localidade do interior de Alto Feliz. Para quem passa o centro da cidade, os parreirais ficam seis quilômetros distantes em uma contorcida estrada de chão. Com plaquinhas que indicam a direção a ser seguida, passando pelo Arroio Jaguar e indo ao Canto Canela, os visitantes se encantam automaticamente ao se depararem com as uvas.

Algo que prova que os visitantes se encantam foi a visita feita pela família Gasparin. Pequenos produtores de uva e vinho, em Salvador do Sul, Valdemira e Achiles (Ico) Gasparin, estiveram na propriedade dos Freiberger na sexta, dia 21 de fevereiro. “É impressionante a tecnologia usada. As uvas são muito bonitas e doces. Sabemos que dá muito trabalho, mas com um resultado desses a gente entende bem o sorriso de quem planta e colhe”, contou Ico Gasparin ao voltar para casa.

As uvas que no ano passado chegaram até ao presidente Jair Bolsonaro, levadas a ele pelo deputado Mauro Pereira, foram destaque, até, na grande mídia nacional. Com ou sem presidente como garoto propaganda, as uvas falam por si só.

As uvas paqueram seus observadores e vice-versa. E neste flerte entre uvas e pessoas o amor se confirma, pois todos voltam para casa com suas caixas repletas de Rubis, Benitakas, Itálias e Bananinhas, ditando as melodias românticas com aromas e sabor sem igual.

Continuar Lendo

Geral

Serra Fronteira faz a alegria dos pequenos

Publicado

em

Diz a lenda urbana de que o Papai Noel chega de trenó, mas, nos municípios da Encosta de Serra ele chega também de moto.

O Moto Grupo Serra Fronteira se uniu em nova ação social, de modo que levassem presentes às crianças de São Pedro da Serra, Salvador do Sul, Barão e Garibaldi. Na cidade da Serra entregaram presentes aos bombeiros que assim fizeram a alegria das crianças. No vale do Caí, em suas motos, vestindo vermelho, todos foram Papai e Mamãe Noel.

De acordo com Paulo Dariano Carvalho Pereira, o Foguinho do Alegrete, que integra o grupo a ação contou com as doações voluntárias de empresas e pessoas, engajando-se assim no espírito de Natal. “Fazer o bem para as crianças é um grande satisfação. Rodamos o centro das cidades e o interior levando aos pequenos a alegria do Natal”, citou Foguinho.

Continuar Lendo

Geral

Projeto cultural continua com atração internacional e várias atrações regionais

Publicado

em

Com o envolvimento do produtor cultural Jacinto Klein nova comitiva de músicos da Europa aporta no vale do Caí

Está marcado para domingo, às 16h, na Praça Cônego Edvino Puhl, em São Sebastião do Caí, a abertura da segunda parte do projeto cultural “Brasil/Europa: Integrando a diversidade cultural brasileira através da música na região Sul do Brasil”, desenvolvido por Jacinto José Klein, que é o organizador da turnê. O objetivo é promover e valorizar a cultura e a tradição por meio da música instrumental.
O projeto é uma realização do Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Especial da Cultura, com patrocínio do Supermercado Selbach – O Super do Hans, de Feliz, com apoio técnico da Handia Produções, de Harmonia. A programação deste domingo, em Caí, inicia às 16h, com Cassius Prado e Banda, seguido do Musical Cristal Show, às 17h. Às 19h será a vez dos europeus da Orquestra Bayernkapelle Göppingen, da Alemanha, mostrar seus dons musicais, como atração internacional, com boa música natalina, folclórica e variada. Às 20h a Orquestra de Sopros de São Sebastião do Caí fará o seu show e, fechando a noite, tem a banda Planeta Sul.
Dia 11, na Sociedade Santa Cecília, de Bom Princípio, tem nova rodada de shows. A programação inicia às 19h30 com a Orquestra WBK, de Bom Princípio. Já 20h30 será a vez da Orquestra Bayernkapelle Göppingen e às 21h30 tem a dupla Allan e Kauã.
Dia 18 de dezembro, às 19h, na Praça XV, em Torres, fecha a temporada dessa segunda parte do projeto cultural financiado pela Lei Rouanet, com apresentação internacional da Orquestra Bayernkapelle Göppigen, da Alemanha.

Integração com grupos da região
Além da série de concertos no Rio Grande do Sul, os 12 músicos alemães farão intercâmbios na região. Vai ter atividades com o Grupo de Danças Folclóricas Alemãs Sankt Wendel, de São Vendelino, a Orquestra Bohn’s Musikanten, de Feliz, e apresentações para os alunos, professores e funcionários da Escola Estadual Leonardo Fritzen, de São Vendelino, onde serão agraciados, na parte da manhã, com danças gaúchas e, ao meio-dia, com um almoço.
O grupo de germânicos terá também uma integração com famílias e amigos no dia 8, domingo, momento em que pessoas pegam um dos músicos, às 10h, em Bom Princípio, e levam para um dia de convívio até por volta das 17h. A recepção aos alemães foi na tarde desta quarta-feira, no Jornal primeira Hora e também no gabinete do prefeito Fábio Persch e vice Joao Weschenfelder, na prefeitura de Bom Princípio. À noite teve uma janta de recepção da casa do organizador da turnê, Jacinto Klein.

A Orquestra Bayernkapelle Göppigen
Fundada em 1949, na cidade de Göppingen, na Alemanha, por Alois Schiller, a Orquestra Bayernkapelle Göppigen surgiu como um departamento da associação Bayernvereins Göppingen, fez a primeira apresentação dia no dia 17 de julho de 1949, em Eislinge,n e tinha como maestro Josef Scheirich.
Em 1953 assumiu a maestria o senhor Heinrich Schlosser. Após 12 anos, assumiu, em 1965, o maestro Leo Lampeitl. Em 1973, assumiu a função Sepp Jakobi. No ano de 1974, comemorou os 25 anos de fundação. No mesmo ano faleceu o fundador, Alois Schiller. Já no ano de 1984 a orquestra viajou para Flórida, nos Estados Unidos, para animar a Oktberfsfest local.
Em 1986 entra Kurt Frasch para treinar os músicos. O ano de 1989 foi o grande ano para comemorar os 40 anos de atividades do grupo, na cidade de Göppingen. O prefeito Hans Haller resumiu, na ocasião do 40º aniversário no Stadthalle Göppingen: “Ao longo das décadas, Bayerkapelle se tornou parte integrante da vida cultural em nossa cidade”.
Em 1991 foi a segunda participação em uma emissora de televisão, foi SWR in Baden-Baden. 1999 foi muito importante para os integrantes, pois comemorou o jubileu de ouro. E assim, sucessivamente, o grupo sempre animou Oktoberfest´s, festas populares, festas de cidades, desfiles, viagens para apresentações em outras cidades, tocatas na Paulaner, festas natalinas, festas de ano novo, além de outros grandes eventos. Ao completar os seus 70 anos de fundação, o grande feito é a viagem ao Brasil.

Continuar Lendo

Trending